Moedas Portuguesas que mais frequentemente aparecem falsas ou falsificadas

São várias as formas de falsear uma moeda de colecção, podendo dividir-se em 2 grandes grupos: as falsas em que a própria moeda (ou o cunho que lhe dá origem) é falsa e as falseadas ou viciadas, obtidas a partir de um exemplar genuíno de tipo semelhante ao qual foram alterados alguns  pormenores, normalmente a data.

Quanto às FALSAS, estas são geralmente fáceis de identificar, já que o método mais comum é a obtenção de um molde a partir de um exemplar genuíno, fabricando o duplicado por processo de fundição. Estas cópias apresentam uma superfície porosa e a gravura algo tremida. Muitos destes espécimes que aparecem no mercado são falsificações de época ou seja, não foram feitas com a intenção de enganar algum coleccionador incauto mas sim de burlar como meio de pagamento. Mais recentemente aparecem moedas falsas de ouro, obtidas por cunhagem de discos de cobre ou prata usando cunhos falsos, às quais é aplicada uma capa de ouro fino por meio de electrólise. O resultado final pode ser muito perfeito só detectável por pequenas imperfeições no rebordo.

As VICIADAS podem ser bastante mais difíceis de detectar, dependendo da habilidade do autor. Apresentam-se de seguida algumas das mais frequentes:

 


escudo de 1935

É uma das moedas que mais frequentemente aparece viciada. É normalmente "fabricada" a partir de exemplares de 1965 alterando o 3º dígito, ou de 1930 alterando o 4º dígito

 

 ampliar
data viciada, o 3º dígito (6) foi alterado para um 3
data genuína

 


$10 de alumínio de 1969

Esta moeda tem a particularidade de ser maior cerca de 1 mm (16mm contra os 15mm dos exemplares normais datados entre 1971 a 1979). As falsificações são geralmente fáceis de detectar, já que são obtidas a partir de  moedas de $20 1969 de cobre  (16mm), há qual é aplicada uma capa de metal branco e disfarçado o "2" de "20 centavos" para parecer um "1". Além da marosca ser por demais evidente, a gravura do reverso da moeda genuína tem os escudetes diferentes como pode ser visto na imagem. Existem outros tipos de falsificações bastante mais perfeitas.

moeda viciada, escudetes só com o contorno  data genuína, escudetes em relevo

 

 


$10, $50 e 1$00 de 1979 serrilhadas

A moeda é genuína, a serrilha é que não. Estes espécimes aparecem discriminados em alguns catálogos mais antigos mas, hoje em dia é ponto assente que a serrilha não é feita na casa da moeda mas sim introduzida posteriormente.

 

 

 


$10 de 1930 da república

A viciação é feita a partir dos $10 de Cabo Verde da mesma data, é que aparte da legenda "CABO VERDE" as gravuras da moeda da república e da ex-colónia são iguais. Estas falsificações aparecem geralmente num estado de conservação não muito bom: REG a BC e com muita patine criada de forma artificial por forma a "esconder" a marosca. Pode ser bastante difícil de identificar, principalmente se o exemplar se encontrar em mau estado.

moeda viciada por remoção da legenda moeda de Cabo Verde usada nas viciações

 

 

$50 de 1925

Uma das mais "difíceis" moedas da República e também das mais falsificadas

(*)
data viciada, o último dígito é falso  
data genuína  

(*) imagem gentilmente cedida pelo Sr. António Pinto


 

 

500 Réis de D. Carlos

Apesar desta série ser muito abundante, existem três datas (1894, 1895 e 1900) que pela sua raridade e grande procura são sujeitas frequentemente a viciação

(*)
data viciada, o último dígito é falso data genuína
(*) imagem gentilmente cedida pelo Sr. Pedro Barbot

 

 


 

1$00 de 1915

Existem no mercado algumas reproduções dos grandes escudos de prata do inicio da república mas, fabricados em alpaca.
Esta reproduções, ao que se diz de origem espanhola, apresentam uma marca "ALP" junto ao valor facial. Por vezes aparecem exemplares em que a dita marca foi removida ou disfarçada com a intenção de os fazer passar por genuínos.

moeda falsa, reprodução em alpaca
(*) imagem gentilmente cedida pelo Sr. Pedro Barbot

 


 

500 e 1.000 Réis G.P. de 1910

Idem em relação à anterior.

moeda falsa, reprodução em alpaca
(*) imagem gentilmente cedida pelo Sr. Pedro Barbot

 


 

50 Réis 1888

Existem apenas dois exemplares genuínos conhecidos.

moeda falsa, último algarismo da data alterado de 9 para 8

 


outras moedas que costumam aparecer falsas ou falseadas:

Centavo de 1922:    existem pouquíssimos exemplares genuínos desta valorizadíssima moeda. Qualquer exemplar que apareça à venda fora de casas leiloeiras conceituadas é quase de certeza falso.

5 Centavos de 1922, 20 centavos 1922: viciadas por alteração da data. São frequentemente vistas viciações muito perfeitas pelo que todo o cuidado é pouco na validação da sua autenticidade.

2 centavos Ferro 1918: viciada por capeamento de um exemplar de cobre da mesma data. Distinguem-se facilmente ao verificar as propriedades magnéticas do metal.

Eixos deslocados: a viciação é feita através do corte longitudinal de toda a moeda (separando anverso e reverso) e colando as duas partes numa posição diferente. Só detectável por pequenas imperfeições na serrilha ou junto ao bordo.

1$00 / 1000 Reis e $50 / 500 Réis em prata: geralmente são falsificações de época, fundidas em chumbo ou estanho, com uma fina cobertura de prata

moedas.org: on-line desde 27-Julho-2000 Última actualização: 07-08-2006